Crise é oportunidade para jovens

Os jovens brasileiros foram os que mais sofreram com o desaquecimento econômico em 2015. A expectativa é de que o ano registre uma taxa de desemprego bem acima da média mundial, segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT). Entre brasileiros com 15 a 24 anos, a entidade estima um percentual de 15,5%, ante a estimativa de 13,1% em relação à média mundial, nessa mesma faixa etária, segundo o estudo Tendências Mundiais do Emprego de Jovens 2015.

Por mais que estejamos otimistas com a retomada do crescimento econômico e do emprego em 2016, o jovem brasileiro não pode “cruzar os braços”, mas se preparar para sair mais fortalecido desse cenário.

A intenção é despertar no jovem a necessidade de seguir em frente. A crise afetou a maioria das pessoas, milhares de profissionais, assim como médio ou pequeno empresário. Muitas pessoas estão encontrando soluções que nem imaginavam.

O ideal é que o jovem recorra a alternativas de  recolocação ou inserção pela primeira vez no mercado. Informe-se. Busque qualificação em cursos gratuitos via internet. Use com parcimônia os celulares e smartphones. A tecnologia deve ser aliada nesse momento, pois poderá ser “divisor de águas”.  Lembre-se que a crise não deverá ser desculpa para comodismo.

Não pense somente em recompensa financeira ou material das propostas, mas nas experiências e vivências que uma oportunidade de trabalho poderá proporcionar. Se está na faculdade, curso profissionalizante ou técnico, intensifique o relacionamento com sua rede de contatos, não apenas para falar de amenidades, mas sim para trocar orientações, especialmente com os mais velhos, procurando caminhos para “colocar o pé” no mercado.

Acorde cedo. Planeje o dia. Mantenha a rotina. Faça atividade esportiva. Procure informações sobre segmentos que estão contratando.  Muitos setores estão longe da crise, enquanto outros, atrás de pessoas criativas e com novas ideias. Não se intimide. Se você receber uma proposta temporária, sabendo que tem qualificação ou capacidade para receber mais, não perca a oportunidade. Tudo é aprendizado, especialmente, quando houver melhoria na situação profissional e pessoal.

Sugiro que essas pessoas se deem o direito de aprender com a maturidade, já que ninguém nasce sabendo. As gerações passadas, certamente, vivenciaram situações semelhantes e, até mesmo, piores. Não tente acelerar a carreira em um momento que o mercado está em plena desaceleração, até porque, há muito tempo pela frente para repor possíveis perdas ou travas da vida profissional.

Passar por situações adversas permite crescimento e avaliar a carreira com outra percepção. Vivenciar essa crise permite observar que as dificuldades podem se tornar oportunidades. Aproveite o período de recessão para investir em crescimento profissional, buscando capacitação e entendimento sobre as novidades do setor de interesse. Procure caminhos alternativos. Toda crise é passageira e essa não será diferente. Jovem, mantenha atitude e determinação.

Sérgio Campos – consultor organizacional e diretor presidente da RHUMO Consultoria Empresarial

Deixe um comentário